Olá,  

 

Com 23 votos (53%), a enquete da semana definiu que discutiremos o tema: atividades de avaliação em aulas de PLE.

 

Participem!

 

Boa discussão a todos nós.

Tags: atividades, aulas, avaliacao, de, faleportugues, idiomas, ple, professor

Exibições: 295

Responder esta

Respostas a este tópico

Avaliação é sempre um momento que os alunos odeiam literalmente. Confesso que tambem não gosto de ser avaliado principalmente quando se tem hora e data marcados.
Parece que na naquele momento somos avaliados por horas e anos de estudo e muito trabalho, e acabamos caindo em armadilhas que nos mesmos sabemos de forma tao bizarra.
Gosto de fazer avaliações em classe de forma mais tranquila e menos traumatizante. Hoje mesmo farei uma avaliação nas salas de nivel basico utilizando texto, onde os alunos terao que colocar os verbos no passado, ai se estipula um tempo, depois os alunos trocam os textos em si e corrigem.É uma atividade gostosa que todos apreciam.
Penso que as avaliações em qualquer aula, de quelquer matéria, deveriam ser constantes, ou seja, praticadas em todas as aulas, aina que não de caráter formal. Em PLE, no contexto em que trabalho, os grupos não são grandes, o que possibilita que a aavliação seja contínua e privilegie o desenvolvimento individual do aluno. Uma ideia de que gosto é a confecção de portfolio do aluno; aí é possível ter uma ideia bastante clara ( e material) do desenvolvimento do aluno. este portfolio pode consistir de textos escritos e textos orais (áudios e vídeos). É bastante interessante para o próprio aluno que pode "ver" seu desenvolvimento e tomar cada vez mais consciência do que é aprender ple e também de como anda seu português. Gravar situações de interação também é interessante. Para mim, fazer provas não é importante. Elas têm de ser feitas se a escola exige ou, ainda, se o grupo de alunos não tem maturidade para outros estilos de avaliação. Mas acho importante que haja algumas simulações de avaliaçõe sformais em alguns grupos porque isso é importante se o aluno vai se apresnetar ao exame CelpeBras.
Ola Fernanda, Achei seus pontos realmente muito interessantes, assim como os do Walter e da Rosa.... Eu entendo que essa ideia de montar um Portfolio do aluno e bastante valida,, eu como trabalho com aulas individuais, na maioria dos casos faco isso e funciona muito bem, tambem concordo que avaliacoes devem ser frequentes (diarias, semanais) das mais variadas formas, com textos, musicas, programas de tv, enfim, todos os recursos,,,, sempre no contexto daquilo que esta sendo ensinado, isso e muito importante.
A cada duas ou tres semanas eu gosto de pegar um tema ja visto (chamo essa atividade de TUNEL DO TEMPO) a algum tempo atras e reve-lo, seja ele gramatical ou vocabulario, faco uma breve revisao, pedindo para que o aluno me explique aquilo, monto um esquema na lousa, completado por nos dois, montamos juntos e entao dou uma atividade como tarefa. Com isso eles revisao, e eu acabo fazendo uma checagem de aprendizado. Minhas provas tem cara de provas sim, sempre faco uma provinha a cada duas unidades, mas eles fazem em sala com os livros abertos e mais um momento de pesquisa, que tem o intuito de reforcar, eu nao dou nota, corrijo como um exercicio normal. abraco a todos.
Concordo com vc Rosa, alias essa turma q esta vindo por ai na faixa dos 20 aos 25 anos, sao da geração Y (nao sei pq da letra ok) eles cresceram na era da internet, tudo ali facil, nao criaram o habito de leitura, so vendo na internet. textos curtos, pouco conteudo, ai fica complicado. Tenho receio disso. Isso sem falar do gerundismo argh, terrivel. Ser professor é isso minha amiga, ensinar não é facil, aprender tambem não.
Eu chamo meus alunos pelo nome, gaste mais tempo repetindo o conteudo, faça-os PENSAR, eles não tem esse costume. Quando eles começarem a entender vc vai logo perceber, ai voce vai ver q a aula flui melhor e terá mais gosto em dar aula e o alunos mais interesse.
abraço
Walter

Rosa Belli Rodrigues disse:
O portifólio é ótimo, sim, eu tb gosto. Os alunos levam as tarefas mais a sério e guardam este portifólio como uma lembrança de bons momentos até... Eu tenho um, de quando fiz produção de textos na faculdade..rsrsrs...não dou, não troco e não vendo!
Creio que a avaliação, neste caso, como vcs fazem, se torna mais um momento de aprendizagem mesmo.

Vocês sabem, eu tenho a impressão de que ensinar o português como língua materna, atualmente, está muito próximo de ensinar português para estrangeiros, porque, se pensarmos na língua dentro de um continuum, o português popular oral está muito distante do português formal (não gosto de "culto") escrito! São pontos extremos do continuum. É quase como uma língua estrangeira, para a maioria dos alunos....

Em muitas ocasiões, me peguei causando grandes espantos em sala de aula quando mostrava alguma coisa que um aluno de Letras precisa conhecer sobre sua língua materna (ou mesmo em outros cursos, nos quais o uso da norma padrão é necessária)....É aquela coisa, eu posso não trabalhar o "vós" todo dia em sala de aula, mas eles precisam saber que existe, não é?

beijos! Rosa
Ah Walter, com certeza é bem complicado.

Acontece de tudo quando o pessoal vai ser avaliado, tem professor que até sugere não aplicar avaliações e sem dar nota pelo desenvolvimento do aluno em sala de aula durante o curso.

Já por outro lado, alunos de empresas e aula particular, eles sempre vão avisando que não querem prova, a menos que seja exigência do RH da empresa.

Mas por exemplo a idéia do portfólio é ótima.

Alguém de vocês grava ou gravou em audio ou audio e vídeo algumas de suas provas?

Pois alguns de nossos professores gostam de gravar as conversas no começo dos cursos e no final dos mesmos para apresentar aos alunos o avance deles.

Saudações desde o México
Roberto.

Walter Hugo Sgarbi disse:
Avaliação é sempre um momento que os alunos odeiam literalmente. Confesso que tambem não gosto de ser avaliado principalmente quando se tem hora e data marcados.
Parece que na naquele momento somos avaliados por horas e anos de estudo e muito trabalho, e acabamos caindo em armadilhas que nos mesmos sabemos de forma tao bizarra.
Gosto de fazer avaliações em classe de forma mais tranquila e menos traumatizante. Hoje mesmo farei uma avaliação nas salas de nivel basico utilizando texto, onde os alunos terao que colocar os verbos no passado, ai se estipula um tempo, depois os alunos trocam os textos em si e corrigem.É uma atividade gostosa que todos apreciam.
Como avaliar casos, com pessoas com problemas, por exemplo surdos, ou parcialmente surdos?

Na escola a gente teve casos em que o aluno (autodidata), já tinha um bom conhecimento na escrita e compreensão de leitura, porém a pessoa era parcialmente surda. Digamos que se comunica razoávelmente bem na hora de falar. Mas na hora de avaliar, era o complicado.
Roberto
Concordo plenamente.
Conheço algumas cidades mexicanas, um lindo pais.
Gracias chico
abrazo
Walter

Roberto Martínez disse:
Ah Walter, com certeza é bem complicado.

Acontece de tudo quando o pessoal vai ser avaliado, tem professor que até sugere não aplicar avaliações e sem dar nota pelo desenvolvimento do aluno em sala de aula durante o curso.

Já por outro lado, alunos de empresas e aula particular, eles sempre vão avisando que não querem prova, a menos que seja exigência do RH da empresa.

Mas por exemplo a idéia do portfólio é ótima.

Alguém de vocês grava ou gravou em audio ou audio e vídeo algumas de suas provas?

Pois alguns de nossos professores gostam de gravar as conversas no começo dos cursos e no final dos mesmos para apresentar aos alunos o avance deles.

Saudações desde o México
Roberto.

Walter Hugo Sgarbi disse:
Avaliação é sempre um momento que os alunos odeiam literalmente. Confesso que tambem não gosto de ser avaliado principalmente quando se tem hora e data marcados.
Parece que na naquele momento somos avaliados por horas e anos de estudo e muito trabalho, e acabamos caindo em armadilhas que nos mesmos sabemos de forma tao bizarra.
Gosto de fazer avaliações em classe de forma mais tranquila e menos traumatizante. Hoje mesmo farei uma avaliação nas salas de nivel basico utilizando texto, onde os alunos terao que colocar os verbos no passado, ai se estipula um tempo, depois os alunos trocam os textos em si e corrigem.É uma atividade gostosa que todos apreciam.
Na minha opinião, a avaliação deve ser tão variada quanto as técnicas de ensino. No aprendizado, existem alunos que são mais visuais, outros que aprendem tudo ouvindo, outros só aprendem quando colocam em prática. É uma questão de personalidade e estilo pessoal, e o professor tem que criar espaço para todos esses estilos. A avaliação é igual: há alunos que gostam de exames tradicionais e alunos que não gostam. Alguns sentem-se mais confortáveis resolvendo os “enigmas” de um exame tradicional, ou porque estão habituados a que seja assim nas outras disciplinas, ou porque quando estudam para os tópicos que vão cair numa prova criam alvos, o que lhes dá uma certa sensação de controlo sobre a língua; enquanto que outros gostam mais, e se sentem confortáveis, a serem avaliados pelo desempenho de tarefas que colocam em prática o que aprenderam através de contextos “reais”.
Nas minhas classes, faço um compromisso entre os diferentes estilos de aprendizado e faço o mesmo com a avaliação. Temos provas de 10-15 minutos, mais ou menos a cada 6 classes, que geralmente não são anunciadas para não criar o stress do dia anterior à prova, e para promover nos alunos a ideia clara que estudar uma língua estrangeira tem que ser um hábito diário. No entanto, o foco da minha avaliação é por tarefas. Nunca lhe tinha chamado um portfólio, mas gosto da ideia. Neste caso, acho muito importante trabalhar com rúbricas, a que os alunos devem ter acesso antes da tarefa para terem bem claro como vão ser avaliados.

Responder à discussão

RSS

© 2014   Criado por Susanna Florissi, Editora.

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço